Páginas

26 de ago de 2009

12 Conversa Alheia | O poder da perseguida



A imperatriz chinesa Wu Hu, da Dinastia_tang , era uma mulher muito estranha. Mas esquisito mesmo foi o protocolo de governo que ela inventou. Para mostrarem respeito pela sua nobreza imperial, todos os que exerciam altos cargos, além dos embaixadores de outras nações, deveriam obedecer a um ritual: eram obrigados a dar-lhe umas lambidelas na (digamos assim) perseguida.


Ok... os mais pudicos podem deixar de ler a crónica aqui, porque vamos penetrar nesse tema. O caso de Wu Hu é referenciado nos livros de história. E há pinturas daqueles tempos que confirmam a prática. Mostram a imperatriz com a roupa aberta e homens ajoelhados a beijarem as suas partes mais íntimas.

Já imaginou, leitor, o que acontecia nas grandes solenidades de Estado, com centenas de convidados? Deviam ser autênticos banhos de língua. Lá pelas tantas a imperatriz, com certeza, começava a revirar os olhinhos chineses. Talvez o nome Wu Hu seja onomatopaico, inspirado num momento em que ela, inadvertidamente, deixou escapar um gemido:

- Wu hu. Wu huuuuuu.


Mas não pense, leitor, que a imperatriz fazia isso para se divertir. Até é provável que tenha unido o útil ao agradável, mas o que importava era demonstrar o seu poder. Aliás, vale lembrar que não são raros, na história da civilização, os momentos em que as mulheres usaram a perseguida como forma de expressão. Duvida?

Há um antigo hábito das mulheres somalis. Quando queriam ofender alguém, mostravam a dita cuja. Heródoto conta que algumas mulheres egípcias que viajavam pelo Nilo mostravam as partes pudentas aos povos ribeirinhos para mostrar desprezo. Mas terrível mesmo era para os gregos antigos. Se vissem, sem querer, a nudez de uma mulher, os caras achavam que iam ter azar para o resto da vida. Eu, hem!

É como diz o velho deitado: “Danado mesmo seria se Wu Hu fosse um imperador”.


***

Dia desses na ‘podóloga’ encontrei uma revista Uma de maio de 2003. Trazia uma matéria sobre sexo oral onde citava a Imperatriz Wu Hu. Pesquisando na internet encontrei esta crônica deliciosa de Antonio Baço, aliás, recomendo que você qualquer hora dessas de uma passadinha em Crônicas 3 por José António Baço (Textos publicados no jornal "A Notícia").

Há 100 pequenas crônicas, dos mais variados temas, todas elas deliciosas de serem lidas.

Ah, tem uma informação extra sobre o significado da felação no tempo de Wu Hu nos comentários


12 comentários:

  1. Adorei!!!
    Vai que a moda pega amiga imagina!!!
    bju!!

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkkkkkkkkkkkkkk...

    Essa imperatriz era avançadinha demais para o tempo dela. uaehauheuaehauehauea..

    A danada sabia como fazer uma suruba com ela sendo a personagem principal da história!

    Beijoss Atrê!

    P.S. Post novo lá no AST!

    ResponderExcluir
  3. Realmente, uniu o útil ao agradável. Mostra que ela tem o poder e tira uma casquinha ;)

    ResponderExcluir
  4. Essa ai sabia da coisas...to aqui ainda imaginanado a cena;;;kkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  5. hauhauahuahuahauhau...ela era muito esperta, isso sim! rsrsrsrsrsrsr... Bju

    ResponderExcluir
  6. Segundo li, a felação (o sexo oral, pra quem não tá ligando o nome estranho ao ato prazeroso pra quase todo mundo) era considerado a prova viva da inferioridade feminina e para os homens meter a boca entre as pernas de uma mulher era a suprema degradação masculina. Wu Hu havia sido concubina...Então quando ela assumiu o poder provavelmente foi uma maneira de vingança dos períodos de inferioridade que havia vivido. Exigir tal gesto dos que vinham tratar com o trono foi a forma como ela encontrou de mostrar quem mandava... E de dizer que TODOS eram inferiores diante do poder que ela agora tinha.
    Pois é...Deve ser difícil hoje em dia entender que tal ato fosse pra humilhar... Não necessariamente pra ter prazer sexual. Embora isso não impeça o mesmo, claro...rs

    ResponderExcluir
  7. Hahah...very good...mas que ela gostava, sobre isso não restam dúvidas...pouco importam os motivos (ao meu ver!)....rsrs
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Hahahahaha... Me humilhei muito há umas 3 horas atrás... e se humilharam muito comigo também...
    Tô ligando!! Tô nada!!!!
    Eu quero é humilhar e ser humilhado... e "otras cositas mas"

    ResponderExcluir
  9. Belo texto, Atrê...história, bom humor, cultura, tudo em uma só tacada....belíssimo.

    Beijão pra vc

    ResponderExcluir
  10. Me fez lembrar o post do Sexo Verbal sobre o revolucionário chinês Mao Tsé-Tung e suas bizarrizes sexuais rsrs. Ainda bem q a imperatriz não parecia ser tão porca quando ele...

    Bjinhos!!!

    ResponderExcluir
  11. Ahhh, que safadinha!
    Mas quer saber? ADOREI essa reverência! hahaha

    Será que era pra impor respeito que a Dercy
    mostrava os peitos?? Ela devia ter conhecido a Wu Hu... rsrs

    Bjoos!

    ResponderExcluir
  12. Qdo vi q o tema falava em 'perseguida', peguei e vim dá minha espiada né ;)

    hehehe³

    Mas mto legal a estória dela e lógico q vou dá uma lida nas tais crônicas.
    Ahh, adorei saber q ela fazia pra humilhar a macharada... KKKKKK
    Se eu tivesse lá voltava pra o final da fila várias e várias vezes

    ^^

    Beijão Atrevido '

    ResponderExcluir

O blog é livre pra você comentar e se expressar sobre seus desejos, dúvidas,curiosidades. Só lembrando que comentários estimulando preconceitos ou contra a lei, como pedofilia, NÃO PODE! Expõe você como um idiota e pode dar problemas pra blogueira, mesmo está não concordando com você.

Se quiser conversar, mandar material ou fazer sugestões ao blog: conversaatrevida@gmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...