Páginas

11 de nov de 2008

20 O que sobra quando não temos CONTROLE sobre Nós MESMOS?

 
"Querer é Poder" é uma frase MUITO ouvida, mas que muitos esquecem de que há INÚMERAS excessões a ela.
Tem coisas que eu gostaria de não ouvir, de não ver, de NEM imaginar que aconteçam com alguém...Mas mesmo assim acontecem.
E mesmo achando que seria mais agradável não comentar, se eu não falasse sobre elas, não seria EU. 
ANTES DE LER O TEXTO a seguir, lembre-se que é apenas uma OPINIÃO minha, então peço que leia com CALMA, com muita atenção pra não tirar conclusões precipitadas em relação ao que eu falo aqui e principalmente para não fazerem 'interpretações' equivocadas ...
*
Eu sou do Paraná e de quarta-feira (5) até está segunda-feira (10) dois casos semelhantes chocaram o estado (e infelizmente não duvido de que aconteceram outros semelhantes na violência e que não foram noticiados...)
Na quarta-feira “O corpo de uma menina de 9 anos foi encontrado dentro de uma mala na rodoviária de Curitiba (...)As primeiras informações dão conta de que o corpo apresentava sinais de estrangulamento e de violência sexual”
Na segunda “o corpo de uma menina de 8 anos foi encontrado em um matagal no município de Castro, no Paraná (...( De acordo com a Polícia Militar, há indícios de que a menina sofreu violência sexual e foi estrangulada.”
*
Para muitos pode parece chocante o que vou dizer, mas admito que sou até capaz de entender  que um “adulto”  sinta desejo por uma “criança”.
Entendo porque costumo tentar perceber como as coisas são usando parâmetros próximos aos que eu conheço e entendo, então se eu NÃO escolhi sentir tesão por homens, assim como algumas mulheres não escolhem sentir tesão por outras mulheres ou homens em sentir tesão por outros homens, provavelmente um adulto não tenha escolhido sentir tesão por uma criança.
Podemos não gostar da ‘preferência’ sexual de alguém, podemos não concordar... MAS acredite... SE VOCÊ vivesse em outros tempos ou fosse criado com outros valores (religiosos e culturais) talvez pensasse diferente do que pensa sobre a maioria dos assuntos que você tem TANTA certeza sobre o que é CERTO OU ERRADO.
O que nos faz VER essas diferenças entre uma coisa ou outra tem muito haver com as REGRAS sociais com que convivemos; com o que aprendemos como certo/errado durante a nossa vida, com a nossa capacidade de discernir uma coisa da outra e principalmente dos fatores que despertam nossos desejos, assim como os que despertam nossas culpas.
Em alguns lugares, ainda hoje, o casamento de pessoas de menos de 10 anos acontece como no caso DESTA notícia onde “uma menina de 8 anos fez um pedido desesperado de ajuda a um tribunal no Iêmen. Ela quer o divórcio do homem de 30 anos com quem foi obrigada a se casar pelo pai, há dois meses...”
Não vou entrar nesse texto na questão cultural dos casamentos como esse ou debater se depois do abuso sexual cometido em casos como os citados no início do texto, as vítimas são assassinadas para que não reconheçam seus agressores ou se é por algum outro motivo.
O que eu não posso deixar de falar é que FAZEMOS campanhas contra pedofilia, pintamos como monstro quem mantém relações sexuais com crianças; achamos culturas ignorantes e práticas hediondas as que submetem crianças ao casamento...
Provavelmente são mesmo.
Mas o que MUITOS consideram monstruosidade é visto como normalidade por MUITAS outras pessoas também.
O que falo aqui é ANTES de tudo o reflexo do que eu VEJO e ENTENDO como o certo e errado e por isso não posso deixar de dizer:
Se tiver alguém lendo esse texto que se encaixe nesse tema...Que sinta atração por crianças como as garotas mortas no começo do post, eu peço que PENSE.
Não to pedindo pra pensar se o seu desejo é CERTO OU ERRADO, se é questão “cultural” ou não ou se você é mais ou menos “doente” do que aqueles que tem prazer numa situação onde alguém bata, mije, espanque ou realize, por exemplo, qualquer uma das muitas PARAFILIAS que a maioria acha nojento ou doentio, mas que é considerado um DESVIO no comportamento sexual  que no fim só interessa mesmo a quem as pratica.
Pense que quando você deseja manter relações sexuais com uma “criança”, você está desejando possuir um corpo que ainda não está preparado para o SEU corpo e o seu ato vai afetar uma mente que pode até SABER o que é SEXO, mas que não CONHECE o que é sexo.
Porque sexo não é apenas penetração... Se fosse assim, um adulto estuprado sentiria prazer, MAS não sente e apensar das brincadeiras de alguns com o “Se o estupro é inevitável, relaxa e goza” o trauma que ele pode criar numa mente ADULTA pode acompanhá-la pelo resto da vida.
VOCÊ desejar uma “criança” pode não ser ESCOLHA sua, mas você CONSUMAR o seu desejo É.
Se você não é um MOSTRO por sentir uma excitação que não é ESCOLHA sua, realizar o ato sexual FAZ de você um MONSTRO.
Então eu peço que se você for um dos que paga (porque MAIS HEDIONDO ainda é que tem gente que VENDE crianças pra essa finalidade) ou se as pega a força pra consumar o seu desejo, por favor, SE TRATE.
Sentir o que você sente pode ser inevitável, mas cometer a ação NÃO É.
E se você não é capaz de controlar seus desejos e buscar ajuda a fim de evitar a ação, SINCERAMENTE te desejo a MORTE.
Porque você tem uma escolha, mesmo que difícil, entre agir ou não.
SUAS vítimas NÃO!

20 comentários:

  1. A Outra11/11/08

    puta que pariu! que texto!!!

    clap, clap, clap (de pé).

    parabéns pela capacidade de discernimento e de conseguir expô-la.

    bjsss

    ResponderExcluir
  2. È um assunto muito delicado...e espero que todos possam entender sua visão... mas poucas vezes vi algo tem pre estruturado assim...Vc demonstrou um ponto de vista sem defender uma situação (apesar que pra muitos pode parecer o contrario).
    Mas tenho que concordar com vc....
    E tem mais...acho que nenhuma verdade é absoluta...

    bjoksss e obrigado pelo carinho cmgo e minha avó

    ResponderExcluir
  3. estou horrorizado com o escandaloso aumento de casos de estupro de crianças. Estupro, por si só já é mosntruoso... em criança... é mais que abominável!

    belo e necessário post; parabéns pelo texto;

    ResponderExcluir
  4. Lamentável e triste, e eu me pergunto: Até onde vai a (in)consciência de um ser humano?

    ResponderExcluir
  5. Muito bom seu texto e suas idéias,concordo com seu ponto de vista, é uma pena que muitos covardes ainda tentem dissipar essas diferenças forçando cças inocentes a praticar tal ato...

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Belo texto..muito bem escrito e elucidativo..
    Sou criminalista a 25 anos..e este tipo de barbaria continua me espantando porque aumenta a cada dia..
    Acho que o caminho é o que vc teve..é uma gota no oceano..mas é informação da melhor qualidade.
    Parabens.
    beijos

    ResponderExcluir
  7. huuum... agora apareceu a janelinha.
    so vim mesmo p dizer q to com mta saudade de vc.
    dos sorrisos, das brigas...
    das conversas à toa, a nossa horta q ja ta seca.
    de te sentir carinhosa, ou até distante...
    simplesmente de te sentir perto, comigo...

    espero q vc esteja bem.
    saudades da margaridinha q um dia ja foi "minha".

    ResponderExcluir
  8. Gata, não tenho trauma de ursinhos de pelúcia não, mas acho extremamente cafona aqueles ursinhos baratos de materiais vagabundos... olhos colados, pelos duros... Essas coisas.
    Gosto de tralhas coloridas e nelas estão incluídas esses mimos, tipo bichinhos, mas eles não podem ser de pelúcia não.
    Ah, sobre o irmão...
    Tenho um cunhado sim, mas é extremamente grosso. Acha que mulher foi feita pra meter, e essas coisas. Ah, e detalhe... ele é super seleto. Só pega mulher gostosa, com peitão e bundão e de preferencia loira.
    Das duas uma: ou ele casa com uma mulher muito foda, ou com um canhão. rsrsrsrs
    Bjim,
    L.

    ResponderExcluir
  9. Adorei o texto!
    Ngm escolhe o tesão que sente,
    mas pode escolher entra a barbarie
    ou não.

    bjos
    (Tb moro no Paraná =P )

    ResponderExcluir
  10. Muito bem escrito seu texto, em um assunto tão delicado vc abordou de maneira direta e bem clara,

    bjs.

    ResponderExcluir
  11. Oi linda...
    vi seu comentário e aqui estou de novo, passei os olhos novamente pelo seu impactante texto.
    Esse é o tipo de coisa que se a gente não "estranhar" radicalmente... um dia, por mais ediondo que pareça, se torna normal.

    bjos

    ResponderExcluir
  12. texto bem foda, ams eu não entendo um adultod se aproveitar de uma criança nunca, bjus

    ResponderExcluir
  13. Concordo plenamente!
    Parabéns!
    Beijos...

    ResponderExcluir
  14. Como me ensinou um amigo meu, uma coisa é a gente pensar ou sentir, outra bem diferente é fazer, principalmente quando o que pensamos ou sentimos pode ser fruto de um trauma ou um delírio. E que precisamos refletir muito bem antes de fazer as coisas. Quem não consegue controlar seus impulsos ou pulsos, que vá se tratar, que há milhões de terapeutas no planeta pra isso.

    ResponderExcluir
  15. Atre,
    vim ler este post por causa da sua entrevista mencionada no dia de hj [11.01.09].
    Concordo com a sua introdução, se trata de uma opinião pessoal, assim, não há o que ser julgada, mas, claro, criticada [no bom sentido, sempre!].
    Concordo também com sua posição de desvio de conduta quando fala do agente e os limites de sentir e agir e, ainda, que a proibição de tais atos são frutos de uma cultura ocidental-cristã-moderna. Desta feita, delimitamos nossa forma de encarar tamanha brutalidade que, além de tirar o direito à liberdade de escolha de uma criança que ainda não estava preparada para escolher sua vida sexual, lhe tira a vida de forma brutal.
    Não desej a morte a um sujeito deste, nem sequer o trancafiamento em instituições jurídico-penais [por onde o suspeito já passou, sobreviveu e voltou a cometer os mesmos atos, o que comprova a ineficiência das prisões para os criminosos], mas o tratamento, adequado e amparado pelo Estado que, em grande parte das vezes, lhe nega o direito à cidadania e à civilidade.
    Nós, pessoas que temos acessos a tudo isso ainda cometemos crimes bárbaros, quem dirá de um pobre cidadão, ou melhor, não-cidadão excluído?
    Provoco-lhe no sentido que não é voltarmos ao estado de natureza, morte pela morte [olho por olho, dente por dente], que resolveremos problemas que ultrapassam o limite da lei. A lei não dá conta de solucionar má-formação de personalidade.
    Beijos da Ninfa...

    ResponderExcluir
  16. Que bom que a entrevista lá te trouxe até aqui... Te fez ter vontade de expor a sua opinião Ninfa.
    Quanto ao que vc escreveu:

    "Provoco-lhe no sentido que não é voltarmos ao estado de natureza, morte pela morte [olho por olho, dente por dente], que resolveremos problemas que ultrapassam o limite da lei. A lei não dá conta de solucionar má-formação de personalidade..."

    NINFA... eu confesso que NÃO me passou pela cabeça ESSE sentido que vc comentou ( que me parece ter a ver com lei...com pena de morte)até porque eu NÃO sou a favor de pena de morte, porque acho que muitas vezes nem sempre quem se acha ter a culpa é o verdadeiro culpado.
    Quando eu falo "E se você não é capaz de controlar seus desejos e buscar ajuda a fim de evitar a ação, SINCERAMENTE te desejo a MORTE..."
    NÃO estou falando de leis, estou falando de conciência.
    No texto eu falo isso, das pessoas buscarem ajuda, mas sinceramente eu desejo que se ele não procurar.. Ou se mesmo depois de "tratado" ele não conseguir se controlar, o que eu desejo é que ele tenha conciência dos problemas que tem (seja disturbio, seja tara, seja fraquesa...tenha o nome que tiver) e do mal que provoca e se não for capaz de parar sua agressão, que páre o agressor.
    Tirar a própria vida (e não coloco nenhum sentido religioso nisso) as vezes é um sinal de que compreendemos o mal que causamos... E o quão somos incapazes de não fazê-lo.
    Mesmo tendo ajuda..
    Mesmo não querendo machucar...


    Obrigada por ler e por participar do tema Ninfa.
    Bom quando as pessoas não apenas ENGOLEM, mas também desenvolvem o que a gente lhes dá.

    ResponderExcluir
  17. Já que o bate-papo é aqui, faço o "mea culpa".
    Entendo o quê fala e sentido, principalmente, sobre sentimentos.
    Talvez pela profissão e pelos estudos tenha me tornado crítica e com posturas radicais quando se fala em crime, lei, direito penal, mídia, enfim, ossos do ofício. Vejo tanta gente [e não é o teu caso, eu sei disso] defendendo a pena de morte [que constitucionalmente é proibida e só pode ser institucionalizada se for feita outra constituição], matando-se todos os "criminosos", sem esquecer que são eleitos pela mídia quem deve ou não ser condenado, pois o que vem a público é uma parcela reduzidíssima das barbáries que se cometem contra crianças, adolescentes, mulheres, negros, idosos.
    Note-se que os criminosos condenáveis tem um estereótipo bem definido [grande parte é homem, idade entre 19-30 (não foi o caso deste estuorador que acho que é mais velho, mas não podemos perder de vista que ele já havia cumprido pena antes), pobre, não-branco (negro, índio, pardo, ...)].
    Um crime não justifica outro, porém uns são mais bárbaros que os outros, por quê?
    Toda a violência seja ela direta, como o estupro, quanto a indireta - dada pelos crimes de "colarinho branco", são passíveis de condenação, mas se analisarmos friamente vemos que uns são mais criminosos que os outros...
    Um governante que desvia uma verba destinada à saúde tortura e mata tanto quanto [e muito mais, seja pela falta de remédios, médicos, tratamentos, negligência] o "Zé da Silva" que fez tudo aquilo.
    Cadê nossa reação contra a Máfia da Sanguessuga?
    Os caras são mais doentes do que muitos e não vejo qualquer manifesto de indignação pela mídia grande... por quê?
    Ao cocntrário, William e Fátima, com aquele olhar plácido informam o arquivamento das milhares de CPI's.
    Vamos nos indignar diante destas barbáries tbm!!!
    É isso que quis dizer...
    [desculpa o discurso inflamado, mas falando sobre o assunto o sangue ferve, muito mais do que as narrações masturbatórias que geralmente divago!!! aahahahahah]

    *sim, devemos ir além do sexo, embora na maior parte das vezes é muito melhor!!!

    Beijos da Ninfa

    ResponderExcluir
  18. Sabe...eu sinceramente acredito Ninfa que a PRAGA da humanidade é o individualismo.
    As pessoas sempre acham que o pior crime é o do outro, que o filho do outro é a má companhia, que se ELE não aceitar o suborno o outro vai pegar, que o papel de bala dele na rua faz menos sujeira que o dos outros.

    Problema também é essa mania que a gente tem de jogar as coisas pra debaixo do tapete... COMETEU um crime, prende ele e enfia numa cela que é construída pra 10, mas tem 70...e por ANOS.
    Fala a verdade, esse sistema AJUDA alguém a se recuperar? E não adianta dizer que "não tem recuperação'...se não tiver, não solta, mas não dá pra meter um indivíduo preso por ANOS e achar que ele vai sair de lá arrependido.

    MAS que esperanças a gente pode ter quando o POVO vota num cara que está PRESO????
    Ou quando reelege um político com mais de 500 processos nas costas???

    mas nos casos de estupro...pedofia o que eu acho mais triste é que ele não rouba só os recursos pra que se tenha uma vida dígna, com saúde, com trabalho (que é o que muitos políticos fazem quando desviam verbas)...
    O estupro mexe literamente com o que se tem por dentro... ultrapassa o que uma pessoa pode "lavar", muitas vezes curar...
    Este tipo de violência muitas vezes rouba uma vida inteira de quem está começando a viver, porque lhe rouba os sonhos.
    As vezes nem parece que ainda está lá com o passar dos anos...Mas quase sempre é um machucado que que não some...e que volta e meia dói MUITO.

    E É VERDADE, as vezes eu 'garro" um ódio dessa INÉRCIA do brasileiro diante dos MANDOS e desmandos desse dos políticos...dessa gente que DEVIA trabalhar pro povo mas que JUSTAMENTE o 'patrão' esquece de cobrar e só reclama do "empregado" no bar, na praça.

    abraço Ninfa

    ResponderExcluir
  19. mente18/8/09

    E quanto a uma mulher que faz o mesmo com meninos?

    ResponderExcluir
  20. mente

    Pois é... curioso isso, mas realmente é fato raro da gente ver na mídia, mas com certeza acontece.

    Em filmes sobre assassinos em série e outros na mesma linha tem muitos casos onde a mãe abusava do filho pequeno.

    Acho que a pedofilia é um ato que é mais comum a ser praticado por homens por causa da 'urgência' sexual deles no sentido de 'algo pra meter até gozar'

    Mas acho que se o ato é o mesmo, o restante não muda.

    Pedofilia tem relação ao ato praticado contra crianças. O sexo de quem pratica é só detalhe pra registro.
    Pelo menos é o que eu penso.

    ResponderExcluir

O blog é livre pra você comentar e se expressar sobre seus desejos, dúvidas,curiosidades. Só lembrando que comentários estimulando preconceitos ou contra a lei, como pedofilia, NÃO PODE! Expõe você como um idiota e pode dar problemas pra blogueira, mesmo está não concordando com você.

Se quiser conversar, mandar material ou fazer sugestões ao blog: conversaatrevida@gmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...